Operação combate crimes contra mulher

Administração
Por Administração outubro 16, 2014 14:40

Operação combate crimes contra mulher

por Yara Ferraz

 

A DDM (Delegacia da Mulher) de Diadema realizou durante todo o dia de ontem  (15/10/14) a Operação Cravo e Rosa. O mutirão da Polícia Civil, com apoio de voluntários, concluiu 32 inquéritos, cumpriu cinco mandados de prisão por não pagamento de pensão alimentícia e quatro de condução coercitiva, quando a pessoa se nega a prestar depoimento e é escoltada pela polícia até a delegacia.

A população teve acesso a orientação de advogados da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), palestras de ginecologistas sobre prevenção de doenças e atendimento psicológico e social. Foram 150 atendimentos, sendo que os homens recebiam rosas e as mulheres, cravos.

Segundo a delegada seccional de Diadema, Martha Rocha, todos os distritos policiais da cidade “estiveram empenhados no cumprimento dos mandados de prisão. Além disso, com a polícia destacada para essa operação, também realizamos 13 flagrantes, a maioria por tráfico de drogas, e apreendemos dois menores.”

Conforme explicou a delegada titular da DDM, Renata Lima de Andrade Cruppi, a operação foi a primeira no município. “Foi uma experiência para conseguir atender todos que fazem parte da esfera criminal: a vítima, o agressor e os filhos. Também é nosso objetivo que a população conheça a delegacia e saiba que vamos ajudar a resolver o problema.”

Desde abril, a DDM realiza atendimento voltado para toda a família da vítima. “Estamos tendo resultado positivo nesta orientação. Tanto que as ocorrências de estupro, lesão corporal e ameaça vêm caindo na cidade. Desde abril, realizamos, em média, 300 atendimentos, sendo que mais da metade dessas pessoas retornou com os problemas solucionados. Nem todos os casos são de polícia, às vezes a família só precisa de orientação.”

O secretário de Defesa Social de Diadema, coronel Eduardo José Félix, disse que a ação ajuda na diminuição dos crimes contra a mulher. “Orientar é primordial. Só temos a ganhar com iniciativas assim.”

A presidente da OAB Diadema, Marilza Nagasawa, disse que cinco profissionais atuaram como voluntárias para realizar os atendimentos. “É sempre um trabalho bem-vindo que, na minha opinião, deveria ser estendido a outras delegacias.”

A dona de casa Andressa Fernandes, 30 anos, surpreendeu-se com a estrutura da delegacia. “Vim fazer um boletim de ameaça contra o meu marido e fui muito bem atendida. Não sabia dessa operação, mas achei interessante todo o atendimento. Tenho uma filha pequena e é legal que tem uma brinquedoteca.”

A aposentada Meire Lopes, 59, atuou como voluntária. “Acho que esses trabalhos são importantíssimos e teriam que ser mais divulgados. Me sensibiliza muito, porque já tive problema de agressão com meu ex-marido quando nem existia Delegacia da Mulher. Quem passa por essa experiência, sempre quer ajudar outras mulheres a superá-la.”


fonte: Diário do Grande ABC

Administração
Por Administração outubro 16, 2014 14:40
Escrever um comentário

sem comentários

Ainda não há comentários!

Deixe-me lhe contar uma história triste! Não existem comentários ainda, mas você pode ser primeiro a comentar este artigo.

Escrever um comentário
Ver comentários

Escrever um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*